quinta-feira, 22 de maio de 2014

129. 38a. Marathon de Paris

Local: Avenue des Champs-Élysées - Paris - França
Data: 06/04/14 - 9h45min - 19ºC - Numeral: 28169
Site.: http://www.schneiderelectricparismarathon.com

Resultados: 42,195 km em 04:36:28 pace 06:33 min/km

Estava há quase dois meses atrasado com este relato. Recém casado e em lua de mel, ao voltar pro mundo real deparo-me com os diversos ajustes iniciais da administração familiar, além da retomada dos trabalhos nos meus empregos. Mas, adianto-lhes, este será um relato objetivo.

Paris é realmente sensacional. Ter viajado pra lá em lua de mel e aproveitado a oportunidade para correr a maratona, no penúltimo dia da estadia, foi uma atitude acertada e gratificante. Sem sofrimento, trocamos uma grande e custosa festa de casamento (senso comum brasileiro) por um jantar estilo mini-wedding (apenas familiares e padrinhos), e assim, planejamos melhor tanto a lua de mel, como a mobília e decoração de nossa casa. Mas, sobretudo, o mais importante nesta vida conjugal estava sendo bem feito, na forma como deve de ser, abençoado por Deus.

Sra. Leiliane Barros, já não fomos dois, mas sim três: eu, você e Deus.

Viajamos no dia seguinte e tivemos uma semana maravilhosa em Paris, queríamos fazer tudo, viver tudo. Fizemos os tradicionais passeios turísticos já conhecidos, mas também sessão de fotos com Filipe Xavier, passeio noturno bike com a Fernanda, visitamos a cidade de Versailles e seu histórico castelo, e flanamos muito pelas belas ruas, jardins e cafés parisienses. De tudo, destaco a foto do nosso romântico jantar na Torre Eiffel, justamente no dia de seu 125º aniversário.

Foto da foto, por volta das 20h. Ao fundo o Trocadero.

Muito aconteceu e o álbum ficou extenso, segue abaixo algumas fotos de alguns passeios, pela ordem: vista do alto da Torre Eiffel após o jantar; pátio central do Castelo de Versailles; remando pelo canal de Versailles; passeio noturno guiado de bike; vista do alto da Catedral Notre-Dame; selfie com a Monalisa no Louvre.


Enfim, muito vivemos e contarei pessoalmente aos interessados. Vamos pra corrida !
Na sexta, dia 04/04, fui na Expo Marathon retirar o kit da maratona e a camiseta do Paris Breakfast Run 5k (corrida de confraternização dos estrangeiros que acontece na véspera). Na lábia, com frio na barriga, num inglês básico, tive que dar um jeitinho brasileiro e conseguir o aceite do meu atestado médico fora do padrão da organização (assumo meu erro por não ter solicitado corretamente ao meu médico). Na Expo Marathon, muitos lançamentos porém com preços brasileiros demais pro meu bolso (exemplo: Nimbus 16 por quase R$ 600,00). Sábado de manhã, eu e a Leili, fomos pra Paris Breakfast Run e nos divertimos num agradável percurso de 5km que terminou em um delicioso café da manhã no Jardin Champs de Mars aos pés da Torre Eiffel. 

Largada 5km do Breakfast Run.

 #SomosTodosMacacos

A MARATONA

Naquela bela manhã de temperatura agradável, para o meu desassossego a maratona começou antes mesmo da largada, lembrei-me até do ocorrido na Maratona do Rio, em 2011. Cheguei em cima da hora, atrasado para uma devida concentração diante do tamanho do desafio que estava por vir. Desci na estação Charles Gaulle e segui a multidão de corredores até a largada (Av Champs-Élysées), quando deveria ter saído da estação diretamente para a Av. Foch, local da chegada e dos guardas volumes. Precisava deixar minhas tralhas lá. A Leili estava comigo, mas ia assistir apenas a largada e o restante da prova via TV no aconchego de um quarto de hotel.


Assim, tive que trotar por aproximadamente 3km no total, para deixar as coisas no guarda volumes e me posicionar para a largada. Quando retornei, a minha baia já tinha largado. Após dar uma de louco com o fiscal de acesso (fazendo de conta que não estava entendendo nada), adentrei a avenida e ali rezei (e muito). Rezei em agradecimentos por tudo ter dado certo até então, mas também por proteção nas próximas horas. Tinha treinado muito pouco no Brasil, andado muito na França, e tudo o que eu mais queria naquele momento era sentar e descansar, inclusive comentei isto com a Leili segundos antes da largada.

Antes da largada. Dia lindo para correr.

Largada dada e minha meta era manter um pace de 6'/km até onde o corpo aguentasse, depois disso eu me permitiria andar o que fosse necessário para terminar a maratona. Eu sabia que iria terminar, só não queria que fosse acima de cinco horas. Parti com uma dores na pernas, sorriso no rosto e lágrimas nos olhos...

Mapa do percurso. Nas extremidades os dois bosques de Paris

Não vou detalhar km por km, ficaria muito extenso e chato. Destaco alguns fatos interessantes. Como eu tinha passeado muito (inclusive com guias) foi bem interessante revisitar correndo várias ruas e pontos turísticos. Vi poucos banheiros químicos e muita gente urinando nas árvores e arbustos, inclusive mulheres sem nenhum pudor (provavelmente eram francesas). Inúmeros pontos musicais, dos mais variados ritmos, inclusive maracatu, com distância menor que um km (ipod pra que?). Muitos brasileiros. Percurso plano e espetacular. Hidratação só a cada 5 km, mas bem abastecido com frutas: frescas, caramelizadas e secas, torrones de açúcar, água e isotônico. Grande participação popular, exceto nos bosques Vincennes (11 ao 18km) e Boulogne (35 ao 40km).

Efetivamente corri por 03:01:31 até o 29,5km (em frente a Torre Eiffel). Parei. Contemplei tudo aquilo. Abasteci-me no posto de hidratação e segui adiante numa longa e prazerosa caminhada. Eu não queria mais correr, já estava acabando, eu queria mais tempo pra curtir e viver aquele momento. Pela primeira vez não torci pra maratona (sofrimento) acabar logo. Dali adiante alternei algumas corridas com várias caminhadas. Meu pace médio subiu muito, mas minha satisfação também. Apenas no km 40 retomei verdadeiramente a corrida. Cruzei a linha de chegada do mesmo jeito que larguei... dores nas pernas, sorriso nos lábios e lágrimas nos olhos.

Nossas vidas, nossa maratona da vida.