sábado, 13 de outubro de 2012

113. Maratona de Buenos Aires

Local: Av. Figueroa Alcorta - Buenos Aires - Argentina
Data: 07/10/2012 - 7h30min - Clima: 16ºC Garoa
Nro.: 1440 - Percurso: 42,195 km - Altimetria: Fácil
Peso: 79kg - Tênis: Asics Nimbus - Organização: Fundación Nandú
Site.: http://www.maratondebuenosaires.com


Relato da prova: Se este relato tivesse um título, seria: "Não sabendo que era possível, eu fui lá e fiz.". Pois nunca poderia imaginar que faria nesta maratona meu primeiro sub-4h. Explico. Tinha me inscrito ainda em maio,  mas compromissos noturnos me impediam de treinar a contento. Somente no começo de julho, sem musculação e nem treino de base (não daria tempo), comecei a treinar planilhado com o treinador Jota Jr. Foram 12 semanas, dentro das quais fiquei oito precavidos dias parado devido à dores estranhas na perna esquerda. Por fim, consegui realizar apenas um longão (27km). Viajei pensando que perdia uma excelente oportunidade de correr muito bem uma maratona, devido as condições favoráveis de festa, clima e altimetria do percurso em Buenos Aires.

Eu e a Leiliane, chegamos na quinta a tarde e logo fomos fazer turismo: Congresso, Praça de Maio (aonde ocorria um protesto pelo sumiço de uma testemunha num caso de corrupção do governo, participamos do movimento e no outro dia o cidadão apareceu. Tinha sido sequestrado), Casa Rosada e o tal falado Café Tortoni com os seus 150 anos de tradição, achei que a comida não vale o preço.

Congresso, protesto na Praça Maio, Casa Rosada e Café Tortoni.

Hospedamos no Ker Recoleta Hotel & Spa, o qual recomendo: bom custo beneficio, atendimento excelente, spa com hidromassagem e piscina, e no dia da maratona anteciparam o horário do café da manhã. Além de sua ótima localização, entre o nobre bairro da Recoleta e a região central, relativamente perto dos pontos turísticos. Na sexta andamos muito, fizemos um city tour a pé, sentido Recoleta e feira da maratona: Shopping Pátio Bullrich, Avenida Alvear, Cemitério da Recoleta, Igrejas Nossa Senhora do Pilar e de San Nicolás, Faculdade de Direito, Floralis Genérica e por fim a feira da maratona.

Uma praça e o cemitério em Recoleta, Faculdade de Direito e a Floralis Genérica. 

Kit na mão, hora de almoçar e descansar para as atividades noturnas. Escolhemos por fazer algo mais tranquilo e fomos namorar nas margens do rio de La Plata, em Puerto Madero. Passeamos pela Puente de la Mujer e como estávamos relativamente perto, fomos (de táxi) até o principal cassino de Buenos Aires, entrada gratuita e apenas para conhecer mesmo... sorte no amor, azar no jogo rs. Infelizmente não pode tirar fotos do seu interior.

Kit na mão, Ponte da Mulher, Escultura homenagem ao Tango e o Cassino.

Sábado fomos para Palermo, região das outlets. Caminhávamos pela Av. Córdoba para pegar um táxi. Veio um ônibus e tivemos a coragem de subir no coletivo. Basta depositar dois pesos (somente moedas) numa máquina registradora, pegar o comprovante e diverti-se. Enfim, nenhum turista (muito menos brasileiro) em nossa volta rs. Chegando lá, tive a certeza que o dragão da inflação atormenta os argentinos. Pior, o governo assume só 9% a.a., quanto na realidade são 25% e até o FMI já cobrou tal transparência. Depois de muita andança, comprei o pouco que realmente valia a pena e fomos para Palermo Soho, região descontraída, de bares descolados e de muito agito. Tomamos um sorvete espetacular na Freddo e voltamos pro hotel, estava esgotado e no dia seguinte tinha a marvada da maratona.

Ônibus coletivo, compras e região do Palermo Soho.

Antes da maratona não tive uma alimentação adequada, abusei das comidinhas de rua (como as empanadas da Guerrin, comidas no balcão mesmo) e fiz apenas duas refeições decente: Parrilla Peña na sexta, prato principal carne argentina, equivalente ao nosso Baby Beff em SJCampos e só fui me entupir de carboidrato  no sábado a noite na El Cuartito, uma típica e tradicional (78 anos) pizzaria portenha. Os dois locais não são turísticos, e sim, frequentados pelos portenhos (dicas de taxistas), por isto paguei um preço justo por uma boa comida. Ainda no El Cuartito, toda decorada com quadros esportivos, assisti ao jogo de rúgbi Argentina (Los Pumas) x Austrália.

Pela ordem, indicação de local e sua especialidade: carne, empanada e pizza.

Dia da prova, tempo frio, garoa. Uma caravana de táxis rumo às proximidades do Estádio Monumental de Núñez (River Plate). Cheguei faltando poucos minutos e infelizmente as baias de ritmo para a largada não estava sendo controladas. Ao som de "Smoke on the Water" (Deep Purple) mais de 6 mil corredores partiram de Núñez a La Boca (Estádio La Bombonera, Boca Jrs), debaixo de uma fina chuva para retornarem vitoriosos, via Puerto Madero, horas mais tarde. Acreditava que o meu tempo seria entre 4h15' a 4h30', combinei o horário com a Leiliane e larguei no pace de 6'/km.

Apoio da namorada, momento antes da largada.

Notei muitas corredoras argentinas ao redor, acelerei e me mantive na frente do marcador de ritmo 6'/km. Passava por parques, monumentos e apresentações musicais. Sentia-me bem e corria prazerosamente. Assim, acelerei mais um pouco e logo ultrapassei o marcador de ritmo 5'45"/km. Prestes a completar os 10km fiz um xixi-stop de 35" e conclui a parcial em 0:56:01, pace de 5'38"/km. Mantive a pegada, passei pela famosa Av. 9 de Julho e seu Obelisco, em seguida a Av. Corrientes rumo a La Boca.

Fechei a parcial dos 15km com 01:23:13, pace 5'32"/km, tomei o segundo carbogel. A estratégia era usar quatro deles, nos km's: 5, 15, 25 e 35. Além das pastilhas de sais (Electro++) nos km's: 10 e 30. Confiei demais na organização, levei apenas dois carbogéis e contava com os quais seriam distribuídos nos km's 25 e 35, mas quando passei por estes postos (ritmo médio 5'30"/km) já havia acabado e ainda tinha mais 4 mil corredores por vir. Ainda bem que os postos de Gatorade eram numerosos, incontáveis. Tomei em todos.

Foi incontrolável passar pelo Estádio da Bombonera e da bateria de sua torcida, sem gritar: "Vai Curintia !". Como estava em território inimigo, ficou num grito só. Em seguida, entramos na região portuária, por onde a prova percorreria seus quinze demorados e chatos km's. Fechei a parcial dos 21km em 01:56:01, pace 5'31"/km e pela primeira vez comecei a pensar seriamente num sub-4h. Estava inteiro, disposto e pensava: "É só dobrar, é só manter.".

Na altura dos 25 km's, corria sem cansaço algum.

Logo após cravar 02:17:42 nos 25km, pace 5'30"/km, fui buscar pra valer o sub-4h. A música sempre será a minha principal estratégia para não deixar o ritmo cair. Até então não tinha utilizado o Ipod na prova e ao fazer disparei, tanto que achava que era muito bom pra ser verdade e que logo iria quebrar. Mas arrisquei.  Passei o marcador de ritmo 5'30"/km e prometi que ficaria a sua frente até o final. Sem carbogel, recorri as bananas e uvas-passas distribuídas e também a um wafer energético para atletas que levei, em caso de fome. 

Recordo que no trecho entre os 30 a 35 km's, apertei ainda mais o ritmo. Queria ganhar tempo para em caso de quebra, ter alguns minutos para desperdiçar e tentar uma recuperação. Sei que era uma estratégia suicida, mas estava inteiro. Na verdade, não acreditava muito no que estava acontecendo, treinei e larguei pra correr a 6'/km e rodava fácil a 5'30"/km. Cravei 03:10:44 nos 35km, pace 5'26"/km, melhor trecho até então na prova. Nem vi urso nenhum... acho que pelo frio e garoa, ele estava dormindo rs. 

Por fim, ao adentrar numa área verde (+/- nos 37km), um trecho de uns 4km's de caminhos tortuosos, sabia que tinha conseguido o sub-4h. Me emocionei e o ritmo caiu um pouco, curtia aquele momento e passava um filme pela mente. Entrei na reta final, sem nenhuma pretensão de sprint, era só curtição. Faltava uns 500m quando vejo do meu lado o marcador de ritmo de 5'30"/km. Pra fechar com chave de ouro tinha que concluir na frente dele, disparei... e cruzei o pórtico mais feliz até hoje da minha vida. TUDO ISSO SEM ANDAR !

Minha chegada (boné azul claro) em 03:51:22, feliz da vida !

Principais Parciais:
10km em 00:56:01 pace 5:38
15km em 01:23:13 pace 5:32
21km em 01:56:01 pace 5:31
25km em 02:17:42 pace 5:30
30km em 02:44:16 pace 5:28
35km em 03:10:44 pace 5:26
40km em 03:39:11 pace 5:28

Resultado: 42,195 km em 03:51:22 pace 05:28 min/km
Colocação Geral: 2.031 de 6.211
Coloc. Categoria: 312 de 726

Álbum de fotos emocionantes da prova.

Pra emendar, ainda tinha o resto do domingo e a segunda-feira para não ficar parado. Só tomei banho e fui passar: Estádio La Bombonera e Carminito. Iriamos num show de Tango a noite ou no jogo do River Plate no Monumental de Nuñez, mas daí já era demais. O guerreiro merecia descanso rs. Fomos comemorar em  um  excelente (e caro) restaurante de carnes argentinas, fazer um último e especial passeio pelo Obelisco, agora iluminado, e enfim cama.

La Bombonera, Carminito, restaurante La Chacra e passeio noturno Obelisco.

Segunda-feira acordei quebrado, mas ainda tinha os últimos passeios. Fomos a um local de praças onde fica o prédio que por anos foi o maior da América Latina, o monumento aos mortos na guerra das Malvinas em 1982 e a Torres dos Ingleses. Subimos de táxi até a Praça de Maio e desta vez a Casa Rosada estava aberta para uma visitação guiada. O seu interior é tão espetacular quanto sua fachada, vale muito a pena a visita. Perto dali, entramos na Catedral Metropolitana e visitamos o tumulo do libertador da América do Sul: José de San Martin. Por fim, voltando a pé pro hotel, passamos pela tal falada calle Florida, nada demais.

Prédio ao fundo, monumento das Malvinas, interior Casa Rosada e tumulo San Martin.

Aqui termina toda esta história, com um final melhor do que imaginava, tanto no esporte como no amor.  Obrigado a todos os amigos pela força e ao Jota Júnior por sempre acreditar que daria pra fazer uma boa prova, mesmo diante das circunstâncias. Obrigado a você, Leiliane, pela sua companhia e paciência, mas sobretudo pela reciprocidade no amor. Te amo.

Avaliação da Prova: Organização ótima, patrocínio Adidas. Percurso totalmente plano e até a metade da prova bem turísitco, depois fica por muito tempo restrito na região portuária e por fim volta a passar por parques, praças e monumentos. Hidratação excelente, muitos postos de água e Gatorade. Kit prova com camiseta regata Adidas, medalha super simples, barra de cereal e dois produtos da Gatorade (pré e pós prova), que ainda não vi no Brasil. Apesar do frio e da chuva, bastante torcida pelas ruas. Para melhorar: baratear a inscrição para estrangeiro; controlar as baias de ritmo; disponibilizar carbogéis suficientes para todos; mais bandas pelo percurso; melhorar a medalha; e um kit pós-prova com mais sustância. Pelo valor da inscrição, deveria ter um jantar de massas.

Nota final:
4,0
1 - péssimo, 2 - ruim, 3 -bom, 4 - ótimo, 5 - excelente

15 comentários:

José R. N. Leite disse...

Michel,
Encontrei com o Jota na última terça-feira e quando ele me contou do seu sub 4 horas, não me contive, entrei no face do seu irmão e pedi pra ele parabeniza-lo, afinal, concluir uma maratona é um desafio pra poucos, fazê-lo num bom tempo diante de condições adversas de treinamento é sem dúvidas surpreendente.
Parabéns meu amigo e sucesso em seus futuros desafios.
Forte abraço e boa recuperação!
José Roberto Nunes Leite (@pai_da_laura)

José R. N. Leite disse...

Michel,
Encontrei com o Jota na última terça-feira e quando ele me contou do seu sub 4 horas, não me contive, entrei no face do seu irmão e pedi pra ele parabeniza-lo, afinal, concluir uma maratona é um desafio pra poucos, fazê-lo num bom tempo diante de condições adversas de treinamento é sem dúvidas surpreendente.
Parabéns meu amigo e sucesso em seus futuros desafios.
Forte abraço e boa recuperação!
José Roberto Nunes Leite (@pai_da_laura)

Jorge disse...

Michel espetacular a sua ida a Buenos Aires e que boa noticia que vc fez sub 4 horas, vc foi um verdadeiro maraturista, agora tem que tomar cuidado com que se come fora do habitual para não ter problemas na prova meu caro...Agora quer dizer que vc foi no Estádio Inimigo com sua bandeira do Curintians e sua esposa é sua rival é pó de arroz...hehehe...Valeu fera parabéns agora é descansar para o próximo desafio.

Bons treinos,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com

Silvio Americo disse...

Parabéns Maratonista! Sensação indescritível e relato emocionante!

Anônimo disse...

Michel,

Você foi incrível, fiquei muito feliz ao te encontrar na chegada!

Parabéns, você merece todos os meus aplausos ...

Te amo ♥

Leiliane

Joel dos Santos Leitão disse...

Parabéns, Michel!
Adoro ler relatos como esse que você fez, que contraria o tal do 'bom senso'.
Você nem se considerava treinado para uma Maratona, e pelos treinos que fez aparentemente não estava, mas foi lá e mandou um sub 4. Achei legal pra caramba!
Abração,
Joel Leitão

Fabio Matheus disse...

Fala Michel!

Está de parabéns, excelente tempo, ainda mais pelo que você comentou da preparação. Você acreditou em você mesmo e fez a cabeça comandar as pernas, parabens novamente.

E vamos para os proximos planos... Eu ainda treinando migué.

Muito legal seu relato também, quando eu for pra B.As. vou usar como referencia.

Abraços

Anônimo disse...

Grande Michel, sempre surpreendendo!

Que você iria completar, disto eu não tinha dúvida, mas que faria um sub 4h diante das dificuldades, realmente foi superação!

Isso mostra o quanto é capaz, basta acreditar.

PArabéns! Bruno Narezzi

Ricardo Hoffmann disse...

Belo relato de uma prova sensacional!Essa questão de não se sentir preparado é interessante, o conhecimento dos limites é tudo. Parabéns pelo corridão!

Fábio Namiuti disse...

Também tinha certeza de que você iria completar, pois conheço muito bem, de muitos e muitos treinos por aí, a sua garra e a sua determinação. Mas o resultado realmente surpreendeu e é de tirar o chapéu. Parabéns, cara!!! Curta bastante essa conquista, pois ela é mesmo grandiosa. Se uma maratona já é algo que fica para sempre na lembrança, imagine uma que tem um roteiro desses até ela. Obrigado por compartilhar com a gente essa bela história. Abração!

Jorge disse...

Parabéns, Michel!!
Correr e passear,ou passear e correr, não necessariamente nesta ordem, é muito bom.
Abraço.

Paulo Gallo disse...

Parabéns Michelzão! Mandou mto bem rapaz!
Sub 4 hs em uma maratona é para arrebentar!
Mandou mto bem!
A gente se ve!
Abraçãoooooo!!!

G.M. disse...

Sensacional, Michel!
Parabéns pela prova monumental que você fez lá na Gringolândia.
Excelente tempo e grande conquista essa sua.
Mandou muito bem!
Ass.: Guilherme.

"Orlando,um não corredor que corre" disse...

Parabens Michel Feito histórico por todos os aspectos . Imagino o quanto está feliz . Vc merece . Grande abraço.

Willian disse...

Meus Parabéns, pela sua grande atuação na Maratona Internacional de Buenos Aires. E que fica sabendo que estive torcendo por você, e que você possa fazer todas as outras Maratonas em sub 4 horas. OBS: Só faltou você gritar: Vai CORINTHIANS no estadio do Boca. Novamente, MEUS PARABÉNS ..